segunda-feira, julho 30, 2007

Claustrofobia...

Sinto-me claustrofóbica…
Impuseram-me linhas contadas
Para escrever
O que vai dentro desta alma.
Sinto-me sitiada.

Como poderei eu
Delimitar tais sentimentos
Que flutuam?
Reduzi-los a nada?
Escolher algumas sílabas e vogais
Quando estas rompem
Do tamanho do mundo?!

Fizeram-me sentir
Do tamanho de um quase nada.

Pousaram sobre mim
Um naco de papel
Tão pequeno
Como a palma da minha mão.
Agora mendigam
Para que o transforme
Num poema sentimental,
Em algo que faça com que
Os que olhos o devore,
Com que a respiração se contenha,
Etc., etc.…

Mas não pensaram em mim.

Sinto-me claustrofóbica,
Nestas linhas contadas,
Nestas grades que travam
As palavras,
As emoções,
Que de mim saem
Sem pedir quase nada!

*****

Excelente semana para todos!

:)))))))))

****

imagem e poema de natalie

13 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Tenho outro blog... é mais íntimo. É um blog de gente gótica - o «Crónicas...» é mais para a população em geral.

http://gothland666.blogspot.com/

Klatuu o embuçado disse...

P. S. É um bocadinho claustrofóbico...

Lord of Erewhon disse...

Muito.

neva disse...

oi sentir que todo é pequeno demais para ti será isso?... grrrr

fica bem bjs

©õllyß®y disse...

Tanto será que vai nessa Alma...

Doce beijo

Diário de um Anjo disse...

Muito bonito. Escrever deixando a "pena correr pelo papel"!
beijinhos

Mocho Falante disse...

As saudades que eu já tinha das tua palavras... Beijocas e tem uma excelente semana

Caracolinha disse...

Então se estás claustrofóbica ... mais uma razão para apanhares o aviãozinho e vires até ao continente ter com os teus amiguinhos ... aqui é mais espaçoso ... :)

Vem mas é cá ter com a gente !!!!

E o cursinho ????

Beijoca encaracolada linda !!!!

Sei que existes disse...

Lindo!!
Beijocas

Perdição disse...

"Sente-se claustrofóbica......
pra libertastes, escreves poesia...
como de forma aerobica....
sem descanso tu sua mão escreve, sua mente cria"

Vladimir disse...

trata de arranjar espaço, onde possas voar pelo azul do céu dando asas à imaginação.....

Naeno disse...

CONSTRUTOR

Construir uma noite é fácil demais
Basta juntar todos os pesadelos
E deixar-se embriagar pelos luares
Desembaraçar estrelas aos novelos
Tecendo distantes constelações
Nos nadas azuis do firmamento imóvel
Até que as distâncias unifiquem os tons
Parindo do escuro a negritude móvel.

Mais complicado é inventar o dia
Tem-se que ser operário da luz
Colher claridade do claro que se irradia
E bordar da luz do sol pontos de cruz.

Um beijo
Naeno

Nelsinho disse...

Claustrofóbico não sou, mas...

Solidão eu já senti, mesmo que rodeado por milhares!


Em terra, com Net decente, passeando pelos Blogs!

Um beijo

Nelsinho