sexta-feira, agosto 18, 2006

O tempo que passou

O tempo não pára
Meu amor.

Nunca nos tratamos por amor
Ou outras lamechices,
Não gostávamos.
Sabíamos como nos tratar,
Da maneira mais doce,
Da forma mais desejada.
Escrevo “meu amor”,
Porque o foste para mim.

O tempo não pára
Meu amor.
Passou por nós,
E nem o vimos passar.
Vivíamos como se o amanhã
Fosse longínquo demais,
Com se o presente,
O momento,
Demorasse
Sem qualquer fim à vista.
E o precipício ali tão perto…
O tempo não pára
Meu amor,
Mas para nós parou.
Parava sempre que
Nos encontrávamos.

Hoje,
Olhando as estrelas,
E Baco acompanhando,
Despeço-me para sempre de ti.
Meu amor,
O tempo voou, não esperou por nós.
O tempo fez relembrar,
O tempo apagou-nos da história
Perfeita que criamos.
O nosso amor ficou,
E só o tempo não parou.

**
poema e photo de natalie
*
*
Ainda estou de férias, e com irmão e sobrinha por cá
não resta tempo para muita coisa :) e é bom assim!
Beijinhos

20 comentários:

little_blue_sheep disse...

:)

bom fim-de-semana

zezinhomota disse...

Mesmo que ainda estejas de férias, concerteza ausente do teu cantinho. Vou desejar-te que seja mais um motivo na tua vida para seres feliz, as férias. Que tudo o que te envolva seja motivo para poderes sorrir; um sorriso de uma mulher bonita é a mais doce das melodias.
Bonita poesia e imagem a complementar a mesma.
Sê feliz.
Bjnhs
ZezinhoMota

Isa&Luis disse...

O texto é belo, mas eu não lhe chamaria um poema. Diria antes, uma prosa poética, porque tem sentimento; mas é demasiado descritivo para ser um poema de direito próprio.
Estar organizado como um poema não é o bastante para o ser.
Não entendas isto como mal-dizer, que não é essa a minha intenção.
Bom fim-de-semana.
Um beijo
Luis

Nelsinho disse...

Gosto de chamar o meu amor de "meu amor",

Gosto que o meu amor me chame de "meu amor"!

Jamais passo um dia inteiro, sem dizer, várias vezes, "Eu te amo"!

Gosto de de trocar um "selinho", um beijinho leve, em qualquer lugar que estejamos, principalmente se corremos o risco de parecer ridículos...

Afinal, o amor é lindo!

Nelsinho

Natalie Afonseca disse...

Luis!!
Podes entender o meu poema como tal ou não! és livre!!
Para mim é um poema....que também poderia estar escrito em prosa!!
Os poemas nao têm sentimento?!
Hummmm...acho que sim, e muito até!!
Beijinhos
:)

JSilvio disse...

=) ai tu tb gostas de passear para tirar fotos...

1 dia combina-se uma caminhada para fotografar o interior das nossas serras

beijokas grandes =)

GNM disse...

É um poema bonito, sim!

Umas excelentes férias para ti e
continua a sorrir!

Mocho Falante disse...

Mais um belo poema que aquis nos deixas Nathalie

Obrigado pela partilha

beijocas

arritmias disse...

quando se trataram por amor explodiram em infindáveis fogos de artificio.

vou vindo... e indo.

Eli disse...

E não se pode voltar atrás?!

Hmm...

:)

Unicus disse...

Leio magia nas palavras. Belissimas. Não é importante o rótulo. é um texto. Um texto belissimo, cheio de ternura, amor e sonho..
Boas férias

Simplesmente louco disse...

Vim aqui parar através do blog da Ana Luar e gostei muito deste teu espaço, vou voltar sempre. Desejo-te uma boa semana. Beijinhos

Micas disse...

São muito bonitas as tuas palavras, ainda que algo tristes. O Tempo...mas que importa o tempo se os sentimentos forem intemporais...

Beijinho

Susilena disse...

Há palavras que não se usam porque se pensa que não se gosta. Contudo...fazem-nos tanta falta.

Susi

Susilena disse...

Natelie, obrigado por me teres visitado.

Susi

Teresa disse...

Olá... Passei, pela segunda vez, pela tua teia e não pôde deixar de comentar. Também sou uma amante da poesia e do mar. Gostei da tua, é simples mas especial...
Beijinho.

Nuvem disse...

Ola espero ke tejas bem :o) ja tentei varias vezes te deixar um mail no teu e-mail ke tens aki no blog mas volta sempre de retorno... na percebo pk keria te deixar o meu endereço do messenger se poderes falavamos mais um bocadinho ;o) beijinho grande e fica bem

Manuel Rodrigues disse...

(...)Os vultos tornam-se cada vez mais evidentes, e a inexplicável vontade de amar(..)

Como um louco perdido na escuridão sinto as palavras, sinto os receios, busco o meu ser, escondo-me por trás do meu eu e acredite, por todos os momentos não esqueço aquele em que acredito.

Um dia é apenas um dia, uma vida não é apenas uma vida.

Persigo a perfeição, nos actos, aqueles que encontrei e defendo-me, porque estou a assumir aquilo que quero e não apenas aquilo que consigo.

Nelita disse...

O tempo não para naoo
graças a deus ... ou ao k seja :)
parar e morrer e eu não kero...
pra já pelo menos :)
sorriiiiiiiiiiiiiii
bjinhossssssss

Catarina disse...

Poema muito bonito...mas com um quê de tristeza...ou será de conformação? De qualquer forma, gostei!

Beijinho