sábado, setembro 17, 2005

Como um estranho na estrada


Quem és tu
Que por aí vieste
A atravessar a minha estrada???
Atravessaste-a como um estranho
E ali ficaste
Parado a olhar para mim
Com os olhos
Mais dóceis que eu já vi!
Não só atravessaste
Como ali ficaste a pedir
O meu ombro já cansado
De sofrimentos.
Enrolaste-te em mim
E eu dei-te
Quase tudo de mim.
Acreditei em ti
E deixei-te atravessar
Aquela estrada.
Vieste estranho e
Ficas-te em mim.
Apoderaste-te
Das minhas fraquezas
E brincaste com
A minha solidariedade!
Afastei-te de mim
Já o tempo se fazia tardio.
Sofri, talvez, como nunca sofri
Pela imaturidade do teu ser,
Pela imaturidade dos teus erros
Quase nunca assumidos!!
Não aceitei todas
As tuas desculpas, não posso!!
Acreditei nas tuas palavras
E gostei da tua música...
...que agora cantas em vão!!
(Poema e photo de Natalie)

9 comentários:

Maria disse...

lindo poema...

Micas disse...

Se eu soubesse escrever queria ter escrito este teu poema... Beijos e bom fim de semana

Maria do Ceu disse...

"Como um estranho na estrada", um trabalho bem elaborado, profundo. Gostei de a ler. Beijinhos.

Ninguém.Especial disse...

Porreiro o poema.
Acho a ideia linda
DIGO-TE.

Betty Branco Martins disse...

Querida Natalie


Está lindo o teu poema.

"Um estranho colhe uma flor
rouba um sorriso
e o brilho dum olhar
vão caindo pela estrada
todas as palavras d´amor...

Beijinhos

BloodyMary disse...

Muito, muito bonito Natalie!
Parabéns...sincero!
Beijos*

Duarte Temtem disse...

Belo poema Natalie,
Já o mostraste a quem tem que o ler?
Bjs

JSilvio disse...

Txiii, a pikena sabe escrever e tirar fotos .. eheh =) ***

H. disse...

é a dança da vida... com as suas diferentes canções...
belo poema, bela fotografia *