quarta-feira, julho 12, 2006

No Horizonte


Eras tu que vinhas
Quando olhava
O horizonte.
Eras tu que vinhas
E tu que desaparecias.
Nesses momentos,
O horizonte
Parecia perto,
Parecia estar ali mesmo,
Onde tu me esperas,
Onde eu ia ao
Teu encontro.
Aproximando-me
Queria fugir
Para longe,
Onde o mundo
Não nos cruzasse,
Onde o mundo
Não nos permitisse
Conhecer um ao outro,
Onde o mundo
Não me prendesse.
Mas olhavas o horizonte
Como se estivesses
Sempre à espera
De algo,
De uma resposta,
De um sentimento
Que eu não consentia.
Mas esperavas-me
No horizonte,
Onde o sol se despedia
Do dia
E onde a lua abraçava
A noite.
Onde dizias que
Os nossos corpos
Se deviam juntar.
Ali no horizonte,
Encontramo-nos
E despedimo-nos
Muitas vezes
Sem fim.
Ali no horizonte
Ficou alguém,
À espera.
*
poema e photo de natalie
**
[Olá!! Aqui está um calor endiabrado, e eu com
um bronze que nem vos conto! :P Tou muito
bem-disposta e daqui vai um beijinho
até aí (a todos) ... e ainda em exames...]

17 comentários:

João Filipe Ferreira disse...

um poema belissimo acompanhado de uma foto deslumbrante, parabens:)
adorei a mensagem carinhosa no meu "cantinho" muito obrigado:) e tb voltarei concerteza, o que li gostei muito:)
www.poetasmortos.com.br é um site onde tb deixo as coisas q escrevo..é gratuito e sitio optimo pa colocar textos:) ..se quiseres podes colocar la tb teus textos:)
um beijinho enorme e ctn assim feliz como demonstras:)

João Filipe Ferreira disse...

eheheheh :) tb estou em exames(esqueci de dizer)
***

Natalie Afonseca disse...

:))))

Nuvem disse...

Ola Natalie espero ke estejas bem.
Eu trabalho é o ke faço da minha vida :d trabalho em recursos humanos numa direcção regional... ke remedio na sou rica :d espero ke os exames estejam a correr bem!
Passo semrpe aki no teu blog axo sempre mt bom as fotos e tudo o ke poes gt imenso... E tu ke fazes e onde tas aki ou em lisboa? ou em mais algum lado :d
Beijinho gramde tudo de bom...

little_blue_sheep disse...

=oP
bigado pela beijoca...bonito poema!
bjocas e bom estudo!

Cláudia Faro Santos disse...

Que bom chegar é chegar aqui e sentir um sabor a verão e cor =)

Beijinho também*

Carlos disse...

A poesia é carne e alma
dentro da língua dos poetas
nos desassossegos das idades
pequena e imensa de desejos
nesta recusa de falar das tristezas
assim sou sem disfarce, nesta entrega
dou o meu sangue ao que acredito
nestes delírios de sentir e amar
numa sede imensa que carrego
num perpétuo sonho com a poesia
numa revelação sem tempo

joão alguém disse...

Inveja desse teu calor! Aqui ta frio...

Mas passei para dizer que da última vez que estive aqui acabei me inspirando, juntei com outras idéias e saiu um novo texto. Beijos!

Paty Maionese disse...

Oi Natalie, conforme o prometido: VOLTEI! Vc realmente me prendeu na sua teia=)
Adorei a foto, antes de começar a ler o post fiquei um tempão só olhando pra foto, amo fotografia. E depois vi que é sua também, além de escever coisas lindas, vc também fotografa muito bem.
O poema tá show! Viajei lendo, me trouxe muitas lembranças...
Bons exames pra vc e curta bastante esse estado de grande felicidade [tbm tenho estado assim, e é bom demais né?!]
Um Beijão

Guilherme F disse...

Passei por acaso e demorei o olhar nas palavras e nas metáforas. Gostei muito.
Bjs

zezinhomota disse...

Entrei sem pedir licença, mas gostei do que vi e li, vou regressar, mas para continuar a ser seu leitor.
Bom fsemana
Bjnhs
ZezinhoMota

orochi disse...

Era eu que vinha no horizonte...e estava nú! E tu... fugiste..
Agora a sério :P
JAMIROOOOOOOOOOOOO JAMIROOOOOOOOOO
Ca vames nós!

Isa&Luis disse...

Acho que és muito avarenta!(risos)
Então só me deixaste um beijinho?
Não tinhas mais, era?
Pois levas também só um...
Um beijo
Luis

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia bronzeada? Não, eu direi que já atingiu níveis auríferos!!!
Merece o podium!!!

Catarina disse...

lindissimo post :) adorei!

1beijinho**

o alquimista disse...

Passei para te desejar um bom dia e deixar-te um doce e terno beijinho, amora...

Noite disse...

O horizonte é sempre o fim do mundo, pelo menos daquele que a vista alcança.